Programa E-Residency 2.0 será lançado na Web Summit



O E-Residency 2.0 surge como um novo conceito de cidadania virtual assente em serviços públicos desmaterializados que passam a estar disponíveis para estrangeiros. 

Esta iniciativa permitirá impulsionar a economia e o perfil internacional de Portugal, atribuindo a cidadãos não residentes a possibilidade de usufruírem de serviços públicos nacionais, nomeadamente através da criação de empresa com número fiscal português ou da abertura de contas bancárias. 

PUB

O E-Residency 2.0 dirigido à nómadas digitais e empreendedores sem base fixa, está ainda em desenvolvimento. O Secretário de Estado para a Transição Digital, André de Aragão, durante a sua participação na feira VivaTech em França, referiu que o governo português tenciona lançar globalmente o E-Residency 2.0, no próximo Web Summit em Lisboa, que decorrerá entre 1 e 4 de novembro de 2021.

Recorde-se que as medidas E-Residency 2.0 (identidade digital), o novo Startup Hub, o Balcão do Empreendedor e o programa +CO3SO Digital (mais coesão digital) foram apresentadas em março de 2020, durante a inauguração das novas instalações da Startup Portugal, no Ministério da Economia e Transição Digital, em Lisboa.


https://startupportugal.com/e-residency20

https://startupportugal.com/

Siga Feed de Empregos no Facebook