O cabo submarino "EllaLink" com âncora em Sines, ligará Brasil à Europa



 
Portugal assumirá durante o 1º semestre de 2021 a presidência do Conselho da União Europeia.
Na última reunião dos Ministros das Telecomunicações da União Europeia (UE), que decorreu no dia 7 de dezembro, Portugal anunciou as prioridades portuguesas durante a presidência do Conselho da União Europeia a partir de 1 de janeiro de 2021.


"O momento alto desta estratégia, será assinalado pela inauguração do cabo submarino “Ellalink”, que liga o continente sul-americano à Europa, para o fortalecimento da conectividade internacional da UE".


PUB

Nas matérias seguidas pelo Conselho dos Ministros responsáveis pelas telecomunicações são definidas por Portugal duas grandes prioridades para a sua presidência: a Transição Digital da Europa e o Impulso do Mercado Único Digital.

De acordo com uma nota do gabinete do Ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, na apresentação que fez aos seus homólogos europeus, explicou que é preciso “criar uma estrutura inclusiva e regras comuns que promovam a interoperabilidade, a partilha de dados, estruturas regulatórias simplificadas, confiança e mecanismos de cibersegurança acessíveis, baseados em escudos e não em barreiras. Uma sociedade virada para a economia de dados deve servir para todos e não deixar ninguém para trás”.  

O Ministro das Infraestruturas, sublinhou ainda, a importância da Conectividade Internacional, um pilar fundamental para a Europa assegurar a liderança digital, razão pela qual, Portugal em conjunto com outros Estados Membros, irá apresentar a European Data-Gateway Platforms Strategy.

"O momento alto desta estratégia, será assinalado pela inauguração do cabo submarino “Ellalink”, que liga o continente sul-americano à Europa, através da ligação de Fortaleza no Brasil, a Sines, em Portugal, o que será mais um passo rumo ao fortalecimento da conectividade internacional da UE", destaca então a futura presidência portuguesa.

O "Ellalink" resulta da parceria de organizações Europeias e Latino-Americanas, e proporciona uma plataforma intercontinental de nova geração em fibra ótica, com cerca de 10.000 km de comprimento, que vai ligar diretamente a Europa à América Latina e que vai permitir elevadas capacidades de troca de tráfego de internet, com pontos de presença em Sines, Madrid, Lisboa, Marselha, Barcelona, Fortaleza, São Paulo e Rio e mais tarde a conectividade com os EUA, Europa, Ásia, África e Oriente Médio.



A estimativa é de que o projeto EllaLink esteja concluído até meados de 2021. 

Acompanhe Feed de Empregos no Facebook